Resenha do livro O Guia do Mochileiro das Galáxias, de Douglas Adams

Não entre em pânico! E lembre-se onde está sua toalha.
Atenção, esta resenha é patrocinada pela Editora da Ursa Menor, que publicou O Guia Do Mochileiro das Galáxias.
                                                      Informações técnicas:

Título: O Guia Do Mochileiro das Galáxias
Editora: Arqueiro
Nº de Páginas: 160


Como o texto da contra-capa o descreve, Douglas Noel Adams (o verdadeiro DNA, como ele fala) é um escritor cômico de mão cheia. É impossível parar de ler!
O livro ao qual tanto elogio conta a aventura de um simpático e simples morador da Inglaterra, chamado Arthur Dent, que mora afastado dos grandes centros pois já não aguentava mais viver lá, talvez pelos grandes engarrafamentos. O livro começa com a descrição de um dia normal, como qualquer outro, a não ser pelo fato de que a terra irá ser demolida dalí a 11 horas, mas ninguém sabia ainda. E pouco tempo antes disso, a casa de Arthut também seria demolida para a construção de um desvio.
O livro também traz ainda a grande figura de Ford, o amigão de Arthur. Um alienígena de Betelgeuse. Ford é um cara que sabe onde guarda sua toalha!
Ford sabe que a terra irá ser demolida dalí a algumas horas e detecta a chegada de espaçonaves Vogons, uns seres nojentos, rabugentos, sonolentos e mau escritores de poemas. E Ford e Arthur vão pegar uma caroninha para alguns anos-luz de distância.
Após algumas movimentações estranhas na terra, emfim ela é demolida. E Arthur e Ford ficaram a salvo. Ainda não se sabe se pelo bem ou pelo mal, dentro de uma nave vogon, e sabendo que vogons são seres imprestáveis, os dois são dispensados no vácuo do espaço para a morte em 30 segundos. Mas heis que longe muitos anos-luz dalí, Zaphod Beblebrox, um meio primo de Ford, então presidente da galáxia, resolve por bem roubar o maior invento dos últimos anos da galáxia, a nave Coração de Ouro. Essa nave é movida por um motor de improbabilidade infinita, permitindo percorrer imensuráveis distância em pouquíssimo tempo. E por improbabilidade incrível, a nave apanha Arthur e Ford aos 29 segundos. Ufa! Essa foi por pouco. Sabendo que a nave é movida por um motor de improbabilidade infinita, não é de se estranhar que ocorresse alguma surpresa ao saber que Ford é meio primo de Zaphod e que Arthur quase namorou Trilian, a atual namorada de Zaphod, que foi a terra um dia para descontrair e tomou Trilian de Arhur.
Com o time completo na nave, ainda resta falar de Marvin, o robô fabricado pela companhia Sirius. Bem, ele preferiu que não falássemos dele agora.
Todos a bordo da nave, era hora de começar a correr, por que os policiais das galáxias mais próximas cassavam Zaphod e a nave coração de ouro. Mas Zaphod não estava nem aí, por que alguns minutos antes descobrira que orbitava o planeta Magrathea, o lendário planeta que era o mais rico planeta das galáxias do universo. Magrathea era rica assim por que fabricava planetas de luxo, um dos exemplos é a terra.
Após serem cassados pelos policiais das galáxias em Magrathea, eles sobrevivem com certo conforto. Mas não contavam que o velho planeta rico, que todos pensavam não estar mais habitado por ninguém há muitos mil anos, ainda estivesse habitado por habitantes em sono profundo. Segundo um habitante de Magrathea com o qual Arthur conversou antes de ser rapitado , os habitantes de Magrathea estavam apenas dormindo desde que a galáxia entrou em um colapso financeiro e não tinham mais dinheiro para comprar planetas. Como já disse, Arthur foi gentilmente levado contra sua vontade para o interior de Magrathea, para conhecer o local onde ainda se fabricavam alguns planetas, só que ninguém sabia disso. Lá ele descobriu que a terra fora fabricada ali, sob a encomenda dos dois ratos que Triliam carregava em uma gaiola na nave,
Sobre essa história, os ratos contaram que faz parte de uma busca incessantes pela pergunta fundamental da vida, do universo e tudo mais. Há muito tempo, o computador pensador profundo descobriu a resposta para a pergunta fundamental sobre a vida, o universo e tudo mais, que é 42. Demorou 7 milhões de anos para saber a resposta, e demoraria mais alguns milhões de anos para saber qual a pergunta fundamental da vida, do universo e tudo mais, mas os queridos vogons destruíram a terra, que para espanto de todos, era um computador super avançado construído sob encomenda para os ratos, queriam saber a pergunta da resposta sobre a vida, o universo e tudo mais.

O final vocês vão ter que ler. Com certeza não vão se arrepender.
O livro de Douglas Adams, apesar de toda a sua irreverência cômica, traz uma crítica social aos burocratas, a vida, ao universo e tudo mais. Um livro, que apesar de já publicado há mais de 30 anos, não perdeu sua atualidade pelo contexto no qual está inserido.





Links dos livros:
Coleção dos Cinco Livros da Série Versão Econômica
1- O Guia do Mochileiro das Galáxias
2 - O Restaurante no Fim do Universo
3 - A Vida, O Universo e Tudo Mais.
4 - Até Mais, e Obrigado Pelos Peixes
5 - Praticamente Inofensiva
6 - E Tem Outra Coisa


Tags: resenha do livro o guia do mochileiro das galáxias, o guia do mochileiro das galaxias, douglas adams, baixar o guia do mochileiro das galaxias, o guia do mochileiro das galaxias pdf, baixar o guia do mochileiro das galaxias, download o guia do mochileiro das galaxias.

Palavras Chave: O Guia do Mochileiro Das Galaxias, Douglas Adams, Arthur Dent, O Guia Volume 1, Ficção Científica, Clássicos, Livro que Virou Filme

Comentários

Postagens mais visitadas

A influência da mídia nos dias atuais

Resenha do livro 1808, de Laurentino Gomes

Resenha do livro As religiões que o mundo esqueceu