A segurança no Brasil é ...

Segundo os jornalistas, nunca foi tão difícil seguir a carreira aqui no Brasil, não pelo fato da concorrência, mas pelo fato de estar muito perigoso praticar a profissão aqui no país. 
E está mesmo! Os números comprovam: em 2013, cinco profissionais da imprensa morreram por motivos ligados ao trabalho. E somente nestas duas semanas ocorreram 3 mortes: a do cinegrafista da Band, Santiago Andrade. A do radialista Edy Wilson da Silva e por último, Pedro Palma, que foi assassinado a tiros em frente a sua residência. Toda essa violência nos leva a fazer, no mínimo, uma breve análise da situação na qual nós nos encontramos, de uma forma geral. Os jornalista estão sendo vítimas, e isso é mostrado a todo instante desde a quina-feira da semana passada. E a população em geral também. A violência está crescendo em todos os sentidos e está afetando todas as classes sociais.
Para termos uma ideia, mesmo que superficial de quão grande é o problema da segurança no nosso país, basta abrir um jornal e ver a quantidade de mortos. Sem falar ainda no que noticia os programas de fim de tarde, que infelizmente, são só rios de sangue. É uma triste realidade. 

Homens do crime organizados mortos por facção rival no Rio

O crime está aí!

O caos na nossa segurança não repercute somente em nosso país. O caso do cinegrafista morto correu o mundo, e pôs em cheque a nossa política de segurança pública, que não ressocializa o infrator penal. Recentemente, em uma edição da revista de esportes France Football, li o artigo que gerou polêmica por falar da realidade brasileira. Em um trecho do texto, o autor cita que no Brasil, a maioria das pessoas conhecia alguém que foi assassinado. Quando li esse trecho, cai na realidade e vi que o problema que a gente enfrenta é muito mais grave do imaginado pelas pessoas em geral. Segundo o artigo, no Brasil, morrem mais pessoas do que na Síria, que está em guerra, ou se preferir, as mortes somadas pela América Central, EUA e Europa ainda não conseguem superar o Brasil. Que também tem o trânsito mais mortal do mundo. 
E esse problema todo afeta a todos. Hoje nas cidades grandes e também nas pequenas, há assaltos de todo tipo de jeito, que inclusive já foram até classificados por aqui, e os mais populares são a saidinha bancária, o sequestro relâmpago (esse é uma exclusividade nossa). Ainda podemos ser assaltados por bandidos com fuzis.
Já que falei tanto no problema, há de se tentar ao menos uma solução para o mesmo. No Brasil, a PM é responsável pela patrulha e prevenção, enquanto que a polícia civil fica encarregada pela inteligência. E a imagem dos PM's aqui no Brasil, e principalmente no Rio de Janeiro não é das melhores: muitos são acusados de corrupção, brutalidade e etc. Nos morros cariocas, segundo relato dos moradores, os policiais já chegam atirando e matando. Essa é a realidade.
Talvez essa não seja a sua realidade, mas na maioria das grandes cidades é desse jeito. O crime também tem aumentado consideravelmente nas cidades pequenas. 
E agora, o que vamos fazer para mudar toda esse sistema?

Comentários

Postagens mais visitadas

A influência da mídia nos dias atuais

Resenha do livro 1808, de Laurentino Gomes

Resenha do livro O guia politicamente incorreto da economia brasileira