Pular para o conteúdo principal

Blog: quem faz o sucesso é você

Numa desses dias de calor aqui do Rio de Janeiro, peguei meu computador e fui para debaixo de um ventilador me refrescar. Estava sem saber o que procurar na internet e como um bom aprendiz fui procurar melhorias. Entrei em alguns fóruns sobre tecnologia, esportes, enfim, sobre um monte de coisa e de repente me deparei com uma pergunta feita por um leitor de um Fórum do Dicas Blogger, onde ele pergunta qual a melhor plataforma para se criar um blog ou site. Daí fiquei pensado nas mais variadas possibilidades: blogger, wordpress, tumblr, joolma, webnode, wix, entre outros. Cada um com sua especialidade de mercado. Uns visando o público mais amador, que não entende quase nada de programação, códigos html, php e para quem manja do assunto.  Continuando a andança pela internet, busquei as últimas novidades do SEO. Foi a partir desse fator que pude ver de modo mais amplo como  uma simples dedução poderia ter me salvado de sair por aí igual um desesperado procurando pelos melhores serviços de sites, hospedagem e compra de domínios. Vendo bem, quem faz o sucesso do seu blog é você mesmo, não o belo widget de captura de e-mails criado da forma mais profissional ou o layout premium recém comprado. O sucesso blog, ou de qualquer outra coisa que se faça nessa vida só depende da gente mesmo. Vejo que muitas pessoas desistem. Realmente, parece fácil colocar um anúncio do google adsense no seu site e pensar que amanhã ele vai receber 100 cliques e que você vai alcançar em menos de uma semana o limite do U$ 100 dólares mínimos para o resgate dos ganhos. A maioria dos blogueiros pensam que o sucesso está ligado a plataforma, ou ao seu layout. Infelizmente, layout bonitinho não consegue nada se não haver no blog um conteúdo relevante. Você já pensou em quantas pessoas estão conectadas só aqui no Brasil, mesmo às 04:04 da manhã? É muita gente procurando sites com bom conteúdo. Parece bem fácil, mas não é bem por aí. Ao passo que há mais 1 bilhão de pessoas somente no Facebook há também um bom número de pessoas em suas casas criando conteúdo para divulgar na web. Pensou?
Se você quer acertar, veja alguns passos que eu segui, e estou conseguindo aumentar o meu público-alvo.
1º - SEO não é tudo: tem gente que pensa que escrever um post com apenas uma dezena de palavras-chave irá fazer com que o seu site seja o primeiro nas buscas do Google. Não! Ao invés de usar tanto as técnicas de SEO, é bem melhor investir mais um tempinho e fazer um conteúdo de qualidade. Um bom conteúdo quase sempre fideliza seus leitores. Ainda mais nesses tempos, que o Google mudou seu algorítimo de busca, dando mais relevância apenas as páginas que tenham uma resposta mais clara a dúvida pesquisada pelo internauta. Perdi a conta das pessoas contando seus lamentos pelos comentários de sites que rasgavam lamentações ao novo algorítimo, apelidado de Beija-flor.
2º - layout bonito às vezes atrapalha
Vejo muitos blogs por aí que mais parecem sites de portais de notícias. É bonito, é. Mas pode estar te afetando, e muito.
Normalmente, esses templates bem legais que você baixa no btemlates.com as vezes não é la essas coisas todas. Carrega devagar demais, é pesado demais. E não há nada pior do que esperar uma página carregar por eternos segundos para abrir o conteúdo. É bem perigoso, e tem que ser testado em um site teste para ter certeza de que você não modifique tanto seu blog principal.
3º - plataforma de blog não gera nada: vejo isso demais, demais mesmo. Uns puxam sarro para o wordpress, já outros ao blogger, webnode, enfim. Nada disso vale se você não tiver um bom conteúdo. O melhor lugar pra publicar seus textos é onde você mais sabe mexer. Um blogger não faz milagres. Nem o webnode, nem ninguém.
4º - seu sucesso é você: se eu te dizer que já vi sites em webnode com mais de 1.000.000 e usavam estilos, fontes e etc de uma forma bem agradável de ler. Era muito bom. Agora se você tem muito anúncio no seu blog, que além de deixá-lo muito lento, pouco vai gerar se você não ver de forma mais detalhada as estatísticas,
Finalizando, reafirmo que nenhuma plataforma de blog é melhor do que a outra. Quem faz seu blog é você. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A influência da mídia nos dias atuais

Tanto fiel é sua mídia quanto fiel é o seu povo! As emissoras de TV, rádio e principalmente a internet, principal meio de comunicação utilizado por nossa geração influencia mais do que imaginamos. Textos com manipulação, com sentido controverso ou ''puxando sardinha'' para X ou Y são frequentes. Diante disso temos que estar bem atentos ao que lemos, ouvimos e vemos na internet: podemos criar dogmas fictícios, errôneos por influência da mídia. Hoje em dia, na era da informação rápida, conexão super-rápidas somos bombardeados por informações de todos os lados. Estamos no período da humanidade que mais se produz informação: nos jornais, revistas, tv's, blog, etc. São diversos os meios que a evolução nos proporcionou, e temos que aproveitá-las por demais, pois nunca foi tão fácil saber das notícias, da história, de vários assuntos de nosso interesse. Nos mais variados sites da internet, temos conteúdos voltados à educação, saúde, lazer: nunca foi tão fácil aprender e ens…

Resenha do livro 1808, de Laurentino Gomes

1808, de Laurentino Gomes
Título : 1808
Autor : Laurentino Gomes
Ano: 2008
Onde Comprar: AmericanasSubmarinoLivraria Cultura Saraiva Este é o primeiro livro do autor paranaense Laurentino Gomes. O autor, que não é um historiador de formação, mostra seu talento na narrativa do seu livro-reportagem com observações bastante cabíveis sobre D. João VI e das peculiaridades da corte que veio fugida para o Brasil.
D. João
O livro tem como seu principal personagem D. João VI, príncipe regente que viria a ser rei de Portugal com a morte de sua mãe, D. Maria I. Laurentino descreve o rei como sendo um sujeito tomado pelo medo de tomar decisões, deixando-as sempre para a última hora. Sempre que podia adiava decisões importantes, adiava, e quando as tomava, tinha sempre por trás a palavra de seus conselheiros, em especial D. Rodrigo de Sousa Coutinho ou o Conde de Linhares.
Fugidos
 A vinda da família real ao Brasil não aconteceu dos mais belos modos e nem por vontade deles. Àquele tempo, Napoleão Bonaparte…

Resenha do livro As religiões que o mundo esqueceu

Uma obra que merece ser lida por todos para que possamos compreender o que somos hoje, mesmo que professemos religiões diversas. O livro é uma base para a compreensão histórica e social das transformações, agregações, mortes e agregações que todas as religiões que existiram e que ainda existem sofreram.
O livro é organizado por Pedro Paulo Funari, pesquisar brasileiro dedicado principalmente a arqueologia. O livro é composto por textos do próprio Paulo Funari, Alexandre Navarro, Ana Donnard, Betty Mindlin, Flávia Galli Tatsch, Johnni Langer, Júlio Cesar Magalhães, Júlio Gralha, Leandro Karnal, Luiz Alexandre Rossi, Paulo Nogueira, Renata Senna Garraffoni e Sérgio Alberto Feldman, todos autores com enorme conhecimento em diversas áreas históricas.
Como o próprio título sugere, o livro trata das religiões antigas que o mundo esqueceu, morreram, não existem mais. O livro divide-se em capítulos dedicados a cada religião, como a dos egípcios, gregos, celtas, vikings, coptas, albigenses, c…