Estamos perdendo nossa capacidade de admirar!

A gente mesmo nem percebe mas a cada dia que passamos, ficamos mais alheiros à tudo em nossa volta, somente com atenção aos celulares e tablets. Como diz Joinstein Gaarder, quando usa o exemplo de que nós temos sempre que ter a capacidade de se admirar, de ver beleza em coisas simples, de simplesmente sorrir para alguém ou abraçar. Não vemos simplesmente que muitas coisas e pessoas que nós gostamos estão indo embora, nos deixando, às vezes para sempre. Há o ditado popular que diz que nós só damos
valor quando perdemos alguma coisa, isso é pura verdade. Só damos valor aos amigos quando eles já não estão mais conosco, aos nosso pais, enfim, a tudo que gostamos.
Passamos boa parte do dia no trabalho, dormindo, e nos resta pouco tempo para desfrutar do dia, e da vida. Alguns poetas escrevem sobre isso, e ler sobre esse assunto nos dá , talvez, uma resposta ou mesmo um indício que nós somos seres do século XXI, os apressados e possuidores. Antes não gostava de poesia, mas há algumas coisas que de início parecem sem sentido, mas quando se percebe seu real sentido elas se tornam muito boas, irresistíveis. Como já disse anteriormente (Joinstein Gaarder) nós estamos perdendo a capacidade de nos admirar com coisas simples. Parece meio bobo, mas ver como o céu é bonito, como um dia com sol é contagiante, ver as pessoas ao seu redor e se admirar com elas. Isso é incrível, pena que poucas pessoas tem essa capacidade. As que tem, em muitos casos, transformam esses sentimentos em palavras, telas, fotos, gestos, sons... e é disso que precisamos!!!

Comentários

Postagens mais visitadas

A influência da mídia nos dias atuais

Resenha do livro 1808, de Laurentino Gomes

Resenha do livro O Guia do Mochileiro das Galáxias, de Douglas Adams