Consumo não será o carro chefe da economia, diz Mantega

Brasília – O ministro da Fazenda, Guido Mantega, descartou a aprovação de novas medidas de estímulo à economia, ao comentar hoje (29) o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre deste ano.
No primeiro trimestre deste ano, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o crescimento do PIB (soma de todos os bens e serviços produzidos no país) alcançou 0,6%, em comparação aos últimos três meses de 2012.
Para Mantega, as medidas de estímulo à economia adotadas nos últimos anos continuam produzindo resultados na economia. “Os estímulos que foram tomados continuarão fazendo efeito. Temos um programa de desonerações e isso continuará dando estímulos e aumentando a competitividade da economia brasileira”, disse Mantega.  
Mantega também destacou que as taxas de juros para o crédito aos investimentos são as mais baixas dos últimos tempos.
Sobre o consumo, Mantega também ressaltou que não haverá novas medidas de estímulo. Para o ministro, os investimentos vão dinamizar toda a economia, com aumento das contratações e, por consequência, do consumo. “O consumo não deverá ser o carro chefe do crescimento da economia”, disse.
Sobre a inflação, Mantega disse que, com a nova safra de alimentos, os preços devem cair. “Agora começa a safra e há uma grande oferta de produtos agrícolas. Então daqui para frente haverá uma redução de preços”, disse.
Edição: José Romildo
  • Direitos autorais: Creative Commons - CC BY 3.0

Comentários

Postagens mais visitadas

A influência da mídia nos dias atuais

Resenha do livro 1808, de Laurentino Gomes

Capacidade e Incapacidade no Código Civil de 2002